Sábado, 15 de agosto de 2020
informe o texto a ser procurado

Notícias / Pecuária

Cadeia produtiva da avicultura e da suinocultura brasileira tem condições de ser ainda maior do que é atualmente, disse Maggi

Segundo o Mapa, o ministro este na abertura do Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura (Siavc), em São Paulo.

30 Ago 2017 - 08:10
Atualizada em 30 Ago 2017 - 09:43

Cadeia produtiva da avicultura e da suinocultura brasileira tem condições de ser ainda maior do que é atualmente, disse Maggi

Foto: Reprodução da Internet

A cadeia produtiva da avicultura e da suinocultura brasileira tem condições de ser ainda maior do que é atualmente, disse o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi. Segundo ele, é preciso aprimorar as regras de controle e fiscalização sanitária para oferecer aos consumidores um produto saudável e de qualidade. 

Segundo o Mapa, o ministro este na abertura do Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura (Siavc), em São Paulo.  

 “Produzir é muito importante é muito bom. Mas o melhor de tudo é ter onde vender e ter o respeito do mercado. E é isso que o Brasil deseja”, destacou o ministro.  Mas, acrescentou, que é preciso conjugar esforços entre os setores públicos e privados para ganhar a confiança do consumidor e ampliar a presença da avicultura e da suinocultura nacional no mercado global. Atualmente, o país já é o primeiro maior exportador de carne de frango e o quarto de carne suína.

De acordo com o ministro, o fortalecimento do sistema de controle e fiscalização de alimentos fará com que o Brasil possa ter produtos de boa qualidade e com preços competitivos. “Isso permitirá que tenhamos um mercado duradouro”, enfatizou, observando que as exigências sanitárias no país estão aumentando.
“Desejamos estar no páreo do mercado mundial, mas não queremos ser vistos de forma diferente por qualquer uma das nações que compram produtos nossos.”

Maggi reiterou a importância da parceria com setor privado para modernizar o sistema de controle e fiscalização de sanitária. “Nada será feito a força. Tudo tem que conversado. Temos que buscar a mediação para chegarmos naquilo que desejamos. Nosso futuro, na área de fornecimento de alimentos, é muito grande. O Brasil tem grandes volumes de produção de grãos, que são baratos. Ao transformá-los em proteína animal, agregamos valor e criamos milhares de empregos na base da cadeia produtiva, onde há centenas de milhares de pequenos produtores.

Durante o evento, o ministro foi homenageado com o Prêmio Laurinston Von Schmidt, maior distinção concedida pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que promove o Siavs. O presidente da entidade, Francisco Turra, elogiou a atuação de Maggi no Mapa e a determinação com que está coordenando o processo de modernização do sistema de controle e fiscalização sanitário.

Agora à tarde, Maggi participara da reunião do Conselho Agropecuário do Sul, formado por ministro de Agricultura do Mercosul.

Da Redação

 
 
Sitevip Internet