Quarta-feira, 8 de abril de 2020
informe o texto a ser procurado

Notícias / Economia

Bovespa fecha com queda de 7,6% após negócios serem suspensos pela 2ª vez na semana

Bolsa interrompeu as negociações às 15h14, depois do Ibovespa cair 10,11% com a declaração da OMS de pandemia do coronavírus.

11 Mar 2020 - 16:24

Bovespa fecha com queda de 7,6% após negócios serem suspensos pela 2ª vez na semana

Foto: Reprodução/Iprevi

O principal índice da bolsa de valores brasileira, a B3, voltou a fechar em forte queda nesta quarta-feira (11), em um pregão marcado pelo segundo circuit breaker da semana (interrupção das negociações). O pregão ficou suspenso por 30 minutos e foi retomado com recuos que chegaram a 12%.

O circuit breaker foi acionado após a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarar a pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2). Os investidores também seguem preocupados com a queda no preço do petróleo.

O Ibovespa fechou em queda de 7,64%, 85,171 pontos. Às 15h14, Ibovespa recuou 10,11%, a 82.887 pontos, quando as negociações foram interrompidas por 30 minutos.

Pela regra da B3, quando a queda passa de 10% é acionado automaticamente o circuit breaker, mecanismo que interrompe as negociações de papéis por 30 minutos. Na segunda-feira (9), logo pela manhã, os negócios também foram suspensos, quando o Ibovespa recuou 10,02%.

Numa mesma sessão, o circuit breaker só é acionado pela segunda vez se a queda chegar a 15%. Nesse caso, a paralisação é de 1 hora.

Minutos antes do fechamento da bolsa, as ações da Petrobras recuavam quase 11,71%, acompanhando o recuo nos preços do petróleo após Arábia Saudita anunciar plano para ampliar capacidade de produção.

Já o dólar fechou em alta, acima do patamar de R$ 4,70.

Nos EUA, os principais índices de Wall Street também fecharam em forte queda, 20% abaixo do recorde, com os investidores céticos sobre o plano de estímulo do presidente Donald Trump para combater a epidemia de coronavírus.

Os investidores avaliam também nesta quarta as medidas de estímulo para ajudar a minimizar os impactos econômicos do avanço do coronavírus no bloco europeu. O Banco da Inglaterra (BoE) anunciou uma corte emergencial de 0,5 ponto percentual nos juros, em um esforço para estimular a economia e evitar o risco de uma recessão.

Cenário doméstico

No âmbito doméstico, operadores analisavam dados sobre a inflação oficial do Brasil, que acelerou para 0,25% em fevereiro, mas registrou a taxa mais baixa para o mês em 20 anos, dando apoio às apostas de novo corte na taxa básica de juros na semana que vem.

Também nesta quarta o Ministério da Economia informou que sua estimativa oficial de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano foi revisada de 2,4% para 2,1%.

"Estamos monitorando de perto os desdobramentos do Covid-19 [coronavírus] e a recente queda no preço do petróleo e reafirmamos que a melhor resposta ao novo cenário é perseverar com as reformas fiscais e estruturais", informou o ministério.

Pregão anterior

Na terça, a bolsa avançou 7,14%, a 92.214 pontos, recuperando parte das perdas de segunda, em meio a expectativas de ações coordenadas de governos e bancos centrais de todo o mundo para ajudar as economias em meio ao surto do novo coronavírus.

Depois de recuar quase 30% na segunda, e ver seu valor de mercado 'encolher' US$ 91 bilhões, a Petrobras foi um dos destaques de alta desta terça, subindo 9,41% no caso das ações preferenciais, e 8,51% nas ordinárias. Já os papeis da Vale avançaram 18,45%.
 

G1

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 
Sitevip Internet