Domingo, 12 de julho de 2020
informe o texto a ser procurado

Notícias / Pecuária

Vacinação em matrizes protege futuros filhotes de doenças como salmonella

Para assegurar bons resultados, programa de vacinação deve ser executado obedecendo calendário e orientações técnicas

24 Mai 2020 - 09:00

Vacinação em matrizes protege futuros filhotes de doenças como salmonella

Foto: Ilustração/Internet

Um lote de frangos bem imunizado é resultado de um trabalho que começa muito antes das vacinações em pintinhos, antes até da injeção nos ovos. A vacinação das matrizes é muito importante para a saúde dos futuros frangos, afinal, elas passam os primeiros anticorpos para os filhotes. A médica veterinária Elizabeth Baggio Batista, de Forquilhinha (SC), explicou a preocupação e os cuidados com a vacinação das galinhas reprodutoras. “As vacinas são compostas geralmente por partes de bactérias e vírus e têm por objetivo conferir proteção contra doenças. Durante a vida das matrizes, realizamos uma série de vacinas para proteger tanto as matrizes quanto os pintinhos produzidos por elas. A imunidade da matriz é, em parte, transmitida através da gema, por isso, um bom programa vacinal é tão importante”, explica ela.  

 

Elizabeth conta que a vacinação é bastante simples e pode ser realizada de três maneiras. “Basicamente, existem três formas de aplicação: via água de bebida, via ocular, que é quando pingamos uma gotinha no olho do pintinho, e a intramuscular, semelhante  àquela que nós tomamos contra a gripe. Lembrando que a água oferecida às aves deve ser sempre proveniente de fonte protegida, de boa qualidade e estar em temperatura adequada”, destacou.  “Não podemos esquecer que as vacinas são uma das ferramentas utilizadas no controle de doenças. Todas as medidas de biosseguridade são fundamentais na construção da barreira sanitária e, juntas, formam um conjunto de ações que garante a produção segura de alimentos de qualidade”.

De acordo com Marcus Back, médico veterinário, a vacina injetável utilizada nas matrizes é aplicada na musculatura do peito, e deve ser realizada respeitando as distâncias para não atingir os ossos. “A vacina intramuscular deve obedecer à orientação técnica e todos os cuidados devem ser tomados. A vacina é oleosa e deve estar em temperatura adequada para ser aplicada. Além do local correto da aplicação, é preciso garantir que todo o conteúdo da seringa seja injetado para uma imunização correta”. Entre as vacinas que são aplicadas nas matrizes, o  médico veterinário destaca algumas como newcastle, salmonella, marek e pneumovírus. “Não estamos falando somente da produção de óvos férteis, mas tambem de segurança alimentar, afinal, as matrizes são o início da cadeia de produção”, ressalta. 

Marcus também destacou os dois pontos fundamentais da vacinação de matrizes: a proteção contra doenças delas próprias, e a transferência de imunidade para seus filhotes. Ele explicou que um médico veterinário sempre elabora o programa de vacinação para cada  integrado, a fim de garantir os bons resultados do procedimento. “Sempre antes de iniciar a vacinação, é necessário um planejamento. O integrado deve saber quais materiais serão necessários, as quantidades ideais e o tempo que será preciso investir no processo. São muitos animais, então, o cálculo deve ser preciso. Além disso, é imprescindível conservar a vacina, seja ela oral, intramuscular ou ocular, em uma geladeira exclusiva para a finalidade, em temperatura controlada, e sempre registrar as informações para acompanhamento durante todo o período de armazenamento”.

Canal Rural

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 
Sitevip Internet