Imprimir

Imprimir Notícia

22 Mai 2020 - 09:55 | Atualizada: 22 Mai 2020 - 10:07

Preços internos do frango sobem com demanda do atacado e do varejo, além da exportação

As vendas de carne de frango no mercado interno ficaram mais aquecidas nas últimas semanas e deram sustentação aos preços do produto, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). A reação veio do aumento das compras de redes atacadistas e varejistas, que recompuseram estoques. Conforme o Cepea as cotações também ganham suporte da exportação.

Em Toledo (PR), o frango inteiro congelado foi cotado a R$ 5,15/kg na quarta-feira (20), alta de 5,3% ante a quarta-feira (13). O produto resfriado se valorizou 2% no mesmo período e região, cotado a R$ 5,16/kg ontem. "Na Grande São Paulo, enquanto o frango resfriado se desvalorizou 2,8% na semana de 13 a 20 de maio, atingindo R$ 3,91/kg, o produto congelado foi a R$ 4,26/kg, elevação de 6% no mesmo período", disse o Cepea em relatório sobre o mercado.

Os cortes e miúdos de frango congelados tiveram as maiores altas, enquanto o peito com osso e o filé de peito se desvalorizaram, segundo o Cepea. "O peito e o filé registram dificuldades no escoamento, devido, principalmente, ao recuo nas compras de países europeus, que são importantes destinos desses produtos. No atacado da Grande São Paulo, a asa se valorizou 4,9% de 13 a 20 de maio, cotada a R$ 7,90/kg na quarta-feira, enquanto o peito com osso foi a R$ 4,66/kg, recuo de 3,5%."

O centro de pesquisas destaca que nos 10 primeiros dias úteis de maio, o Brasil exportou 202 mil toneladas de carne de frango, com média diária de 20,2 mil toneladas, aumento de 25,9% ante abril e de 24,5% contra maio/19. As vendas foram puxadas pela China.

Em relação aos insumos usados na avicultura, o Cepea disse que, de 13 a 20 de maio, a tonelada de farelo de soja foi negociada no mercado de lotes de Campinas (SP) a R$ 1.759,55, alta de 3% em uma semana. Já o preço da saca de milho recuou 1,3%, a R$ 49,56 na quarta-feira (20).
 
 Imprimir